Início / Consultório da Infidelidade / Será que é assim tão simples não desenvolver uma relação amorosa com o amante?

Será que é assim tão simples não desenvolver uma relação amorosa com o amante?

Quando falamos de uma relação amorosa, a verdade é que a grande maioria das pessoas pensa efetivamente num relacionamento dito “normal”, ou seja, um casal.

No entanto, são muitas as pessoas que por diversos motivos acabam por ter um relacionamento extraconjugal, e desenvolvem com o seu amante um relacionamento amoroso, que na maior parte das vezes não tem sequer pernas para andar.

Hoje iremos tentar perceber se é realmente simples ter encontros infiéis e não desenvolver qualquer tipo de sentimento pelo amante.

Será que é assim tão simples não desenvolver uma relação amorosa com o amante?

Será simples não desenvolver uma relação amorosa nos encontros extraconjugais?

As boas “regras” dos encontros infiéis, ditam que não deve, sob qualquer circunstância desenvolver nenhum sentimento pelo seu amante, e no caso de isso acontecer, o melhor é terminar instantaneamente o vosso relacionamento.

No entanto, nem sempre é isso que acontece, e hoje damos-lhe 4 motivos pelos quais não é assim tão simples não desenvolver uma relação amorosa com o amante.

1 – O sexo é bom (provavelmente muito bom)

Sejamos realistas, uma mulher só irá manter um amante frequente, se o sexo for bom. Se o mesmo for mau, só é preciso escolher outro amante.

Desta forma, um dos principais motivos pelo qual um relacionamento amoroso pode vir a ser desenvolvido, é exatamente por esse motivo.

As mulheres têm tendência a “agarrarem-se” ao que gostam. Desta forma, um bom sexo, irá tornar um homem ainda mais atraente.

2 – Não existem complicações

Esta questão, embora possa parecer estranha é bastante real. É importante ter em mente, que quando duas pessoas são amantes, por norma, cada um tem o seu casamento (ou relação) e apenas se falam quando é para marcar o encontro (e por norma, apenas estão juntas para sexo).

Desta forma, não existem grandes complicações. Ninguém atrapalha a vida de ninguém, não existem cobranças ou qualquer outro tipo de julgamento, que ocorre num relacionamento convencional.

Desta forma, existe uma falsa sensação de que o amante promove uma maior liberdade porque não cobra nada (sendo por isso simples desenvolver uma relação amorosa, mais que não seja na cabeça das mulheres).

3 – Sentem que podem desabafar sem serem julgadas

Outro motivo para as mulheres frequentemente se apaixonarem pelo amante, passa simplesmente pelo fato de que os mesmos em muitos casos, acabam por ser um refúgio para os seus problemas.

Na maior parte das vezes, o que acontece é que desabafam e tornam os amantes uma espécie de psicólogo, a quem pedem conselhos sobre o que devem ou não fazer.

Esta intimidade, leva a que muitas vezes os sentimentos que não deviam existir, comecem a vir ao de cima (principalmente porque estão a contrapor os mesmos no amante em vez de o fazerem nos parceiros).

4 – Encontram a estabilidade que não têm em casa

São vários os motivos que levam uma mulher a trair, contudo, um dos principais é a falta de sexo e o fato de sentirem que emocionalmente a relação já deu o que tinha a dar (contudo, existem sempre várias questões que fazem com que não seja possível pedirem o divórcio – como é o caso de estabilidade financeira e familiar).

Desta forma, acabam por ver no amante essa estabilidade que não têm em casa, levando a que uma relação amorosa (platónica) acabe por ser desenvolvida (sendo que em 85% dos casos a mesma não é sequer correspondida).

Estes são apenas 4 motivos que levam a uma crescente dificuldade em não desenvolverem uma relação amorosa com os amantes.

Contudo, o nosso conselho é que se começar a sentir realmente algo pelo seu amante, corte mesmo com as vossas ligações. Acredite que é mais simples do que posteriormente estar a sofrer porque não deu em nada.

Veja Também

Tudo o que precisa saber sobre o speed dating

Tudo o que precisa saber sobre o speed dating

O speed dating está na moda e muitas pessoas gostariam de o experimentar. Contudo, existem …